sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Armadura de Luz - Mensagem de Metatron



Mensagem de Metatron
Canalização de Sandra M. Luz
25/08/2011





Amados Seres, EU SOU METATRON!

Minha Luz nesse instante envolve todos vocês num vórtice de Amor.

Trago junto a mim Anjos que nesse instante colocam em seus corações a Chama do Amor Coletivo.

Essa Chama de Amor permitirá que vejam todos os seres de uma forma especial, comoSeres de Luz, como Irmãos e ensinará a vocês a forma como nós os vemos, e também como Deus os vê.

Muitos de vocês ainda têm um olhar mais amoroso, apenas aqueles que estão mais próximos de ti.

Entretanto meus queridos, já é hora de começarem a entender o Ensinamento do Mestre, que diz: “Amai-vos uns aos outros como EU vos tenho amado”.

A semelhança física que permitiu a vocês definirem parentesco deve ser entendida como necessária, para que apenas pudessem cumprir seus propósitos junto aos seus mais próximos.

Entretanto sua jornada evolutiva vai mais além do que apenas zelar por essa família.

Todos vocês fazem parte da grande Família Cósmica, pois todos são filhos do mesmo Pai Maior.

Portanto, é hora de começarem a olhar para sua outra família, sua Família Cósmica.

Absolutamente tudo em seu mundo tem um Propósito Maior e é preciso que cumpram seus papeis de transformação.

Seu mundo encontra-se num estágio onde o desequilíbrio se faz mais visível aos seus olhos físicos.

E isso esta ocorrendo, para que percebam que precisam fazer algo.

Criticar, trazer o medo e insegurança não é o papel da Luz.

O papel da Luz é propagar a Luz!

Muitos de vocês já foram despertados a cada um a sua forma, mas todos deverão ser despertados pelo Amor Divino.

Não cabe mais a vocês uma conduta de ajudar apenas aqueles que desejam.

A própria energia instalada em todos vocês, identifica que a sua dor afeta o outro e a dor do outro afeta você.

Talvez vocês digam que não conseguem perdoar aqueles que lhe fizeram mal, mas é preciso, pois o seu perdão irá mudar o outro e também você.

Imagine o poder que Deus lhe confiou, através do seu amor, do seu perdão você ajudará o outro a encontrar a Luz.

Veja a importância do seu papel em abrir seu coração, e deixar a Luz de Deus ser enviada aquele que precisa encontrar a Luz.

Meus queridos seres olhem para seu semelhante com um olhar generoso, pois é esse olhar que expandirá o amor que existe dentro de você, e que também mudará o mundo.

Coloque sua Armadura de Luz e propague a Luz ao Mundo.

Feche seus olhos, respire fundo, peça ao Criador que acenda sua Luz e isso se fará!

Peça ao Criador que permita que sua Luz Interna seja expandida por todo o Universo, e isso será estabelecido!

O papel de todos é propagar a Luz, e isso será possível quando pararem de apenas olhar para vocês e para seus problemas, e colocarem em seus corações o desejo de ajudar o outro.

A todo instante surge em seu caminho alguém precisando de ti.

Se colocar sua Armadura de Luz ao iniciar seu dia, todos aqueles que necessitarem de você receberão a ajuda que necessitam, pois a Luz transforma.

Que nesse instante a Luz Maior estabeleça uma Armadura de Luz em cada um de vocês, e que a vontade do Criador seja cumprida!

EU SOU Metatron, o Senhor da Luz.
******************************************************************
sandramluz.blogspot.com
http://margaridaportaldaluz.blogspot.com/2011/08/armadura-de-luz.html

A Música e as Frequências



FREQUÊNCIAS



Inicialmente, para entendermos como se processam as freqüências na música, devemos entender o que é freqüência:

FREQUÊNCIA:


É UMA GRANDEZA FÍSICA QUE INDICA O NÚMERO DEOCORRÊNCIAS DE UM EVENTO. (CICLOS, VOLTAS, OSCILAÇÕES, ETC.). A ESSES CICLOS DENOMINAMOS FREQUÊNCIA E SUA MEDIDA É DADA EM HERTZ (Hz).


Obs. O nome Hertz se deve ao físico: Heinrich Hertz


Hz = NÚMEROS DE CICLOS OU EVENTOS QUE OCORREM DENTRO DOTEMPO DE 01 SEGUNDO.





Exemplo: se ligássemos e desligássemos uma lâmpada 03 vezes dentro do tempo de 01 segundo esta lâmpada estaria “piscando” em uma freqüência de 3Hz ou 3 Hertz. Se por outro lado, estivesse ligando e desligando 10 vezes dentro do tempo de 01 segundo, ela estaria “piscando” ou pulsando em uma frequência de 10Hz.





Todo o Universo pulsa e tudo no Universo é freqüência. Cada ser humano, cada animal, cada planta, cada pedra, enfim, tudo o que existe nesta 3ª dimensão e em outras pulsa em uma frequência particular e única. Se deixássemos de vibrar, deixaríamos de existir.





Toda Criação pulsa, e cada um tem sua própria frequência particular e única em todo o Universo!





A sintonia de uma música com o ouvinte é simplesmente a ressonância que este indivíduo tem com a obra que está sendo tocada. Tudo o que nos aproxima em termos freqüências é ressonância, e tudo o que nos distancia ou repele é dissonância. O poder de influência dos efeitos benéficos ou maléficos de uma música se deve unicamente ao padrão de ressonância que temos com ela, ou seja, a sintonia que temos com esta ou aquela música. Digo benéficos ou maléficos porque existem vários tipos de música; temos músicas como as obras clássicas de um Beethoven, um Vivaldi, etc. que são altamente positivas e benéficas ao nosso organismo, consciência, etc.; temos por exemplo, a música estilo Heavy Metal, Hard Rock, etc. que são extremamente prejudiciais para nosso organismo em todos os sentidos.





Por que as freqüências contidas na música podem prejudicar ou ajudar nosso organismo? Simples. Nosso corpo, nosso cérebro, nossas células são altamente influenciáveis por frequências. Não só as frequências, mas campos magnéticos, elétricos etc. podem induzir nosso corpo a trabalhar de modo diferente, em uma frequência, mesmo que temporariamente, diferente da que está acostumado a trabalhar. O tipo de frequência que nos induzirá a trabalhar em outra freqüência poderá ser positiva ou negativa. E isso nos causará sensações agradáveis ou desagradáveis. Porém abrimos aqui um parêntesis: Se o indivíduo “vibra” em uma frequência igual á que está sendo influenciado, ele se sentirá bem, pois não houve choque de frequências no caso, como exemplo, se o indivíduo está harmonizado com a música clássica, ele se sentirá em “sintonia” com músicas deste gênero. Por outro lado, se gostar de música Rock ou similar de péssima qualidade, ele se sentirá bem com este estilo de música e se sentira mal ou incomodado com música clássica ou similar. Tudo isso é devido à frequência em que a pessoa está vibrando.





Mas ai se pergunta: Se a pessoa está acostumada a ouvir música Rock ou similar, esta música, por estar na mesma freqüência dela não irá lhe fazer bem? Resposta: Não. Não fará bem, pois este tipo de música tem a característica de afetar ou influenciar negativamente os ritmos: respiratório, cardíaco, cerebral, etc. Ou seja, esta pessoa sempre estará com os ritmos internos alterados, e quando ouvir este tipo de música, se intensificará de maneira negativa estes ritmos. Assim, em um tempo futuro, ela poderá ter um AVC, problemas cardíacos, estomacais, stress elevado, etc.





O que fazer então, se a pessoa gosta deste tipo de música e não “curte” a música Clássica ou similar? Ela deve aos poucos deixar de ouvir a música pesada e ir paulatinamente ouvindo músicas mais “leves” até que sua frequência interna esteja em sintonia com músicas de teor vibracional mais elevada.





Existem inúmeros fatores nos quais nos influenciam as freqüências. De maneira benéfica ou maléfica, elas estão em toda parte nos influenciando. Celulares, redes de alta tensão, música de má qualidade, ruídos em construções, etc. Um dos poucos caminhos que podemos seguir é sabermos filtrar estas frequências, evitando locais barulhentos, baladas, etc. e começarmos a presentear nosso corpo e ouvidos com as frequências boas e benéficas da boa música, tais como as clássicas, relaxantes, com sons da natureza, enfim, de boa qualidade.
Marcos Peixoto


Como complementação do texto acima
Leia também:

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Nada Mais Além de Amor! - Mensagem de Mestra Nada



Em nome das magníficas hostes arcangélicas e de todas as hierarquias celestiais falo-vos, hoje, que os vossos tesouros mais preciosos não se encontram no que estudais e sim no que sentis.



Aos pórticos de instigantes incertezas sobre os vosso amanhã enigmático, digo-vos, para que não mais isso olvideis:


- 'Nada mais além de AMOR é o que urge e é o que vos garante o porto seguro de vossas transições evolutivas.'



A inteligência e os conhecimentos de toda ordem, e especialmente os que são instrutores de vossos passos nas searas que trafegais em direção à luz, são relevantes e preciosos, e úteis por funcionarem tais quais alavancas para alcançardes sempre degraus sucessivos de despertamento espiritual rumo ao entendimento inolvidável do teor ‘Sagrado’ de vossas existências.



Os conhecimentos e métodos de incursões nos reinos do ‘saber’ são mesmo relevantes, pois que preenchem de explicações as lacunas de entendimento sobre os prodígios divinos e Suas esplendorosas leis e todo o arcabouço de teorias de amplo espectro rumo aos patamares da sabedoria espiritual dos seres ante a criação divina.



Acerca-se de vossos espíritos imortais um novo mundo interno, e mesmo um vivenciar transcendente em esferas paradisíacas, de descobrimentos extrafísicos , esses que permeiam vossas vidas ...e que se descortinarão , sim, ao vosso olhar deslumbrado, ante a magistral perfeição do Cosmos, de todos vós que estiverdes preparados para tal presente, que só se destina, porém, aos que forem merecedores e puros de coração.



Nesta era apoteótica de Gaia, quando se trava uma batalha ultrajante entre a luz e os reinos ilusórios das sombras da Terra, e quando se regeneram almas agonizantes até então, dentre as lutas e os alvoroços das intempéries humanas de todos os tempos, o ‘Conhecimento’ aponta, realmente, para um novo desabrochar de potencialidades latentes que jazem adormecidas em todas os nichos das chamas trinas sagradas, essas que sempre ardem, mesmo que timidamente, ou até sufocadas pela sombra ignóbil da maldade, mas pululando sempre em todos os peitos das criaturas de Deus.



Ele amplia consciências e faculta ao homem optar pelos caminhos que julga, então, conhecer.



As sabedorias e doutrinas todas se conjuminam numa estante de vasta biblioteca da história da Terra para comporem as edificações intelectuais dos habitantes de seu ventre gentil.



Codificações novas sempre se moldam, a partir do avanço da mentalidade humana, deflagrando novos horizontes a serem alcançados e palmilhados em vida física e/ou multidimensional.



A Verdade Integral, então, começa a se esboçar nas sementeiras do Universalismo e Ecletismo, na vertente da adoção de uma bandeira simbólica da irmandade terrena...uma confraria humana alicerçada por egrégoras que inspiram as civilizações de todas as raças planetárias que compõem a população terráquea...uma irmandade guerreira que age de forma perseverante em prol da libertação da escravidão mental de tantas eras de cunhos absolutistas e antidemocráticos, torpes que eram em seus desatinos de tantos ciclos de perseguições aos cultuantes de idéias distintas entre si, como as religiões ou como as ideologias de todos os tempos e em todos os âmbitos.



A HoloCultura será o escopo intelectual e metodológico na era nova que desponta em vosso globo tão amado.



A Ciência Integral será a bússola de todos os investimentos humanos, sejam mesmo nos seres de todos os reinos, como nas construções das miríades de novas modalidades de planejamento e de estabelecimento dos esplêndidos cenários materiais e etéricos do Novo Tempo.



A sabedoria do Terceiro Milênio descortinará os véus do ‘obscuro’ e nova saga humana redundará, no porvir dourado do amanhã, em avassaladoras e ininterruptas conquistas nas áreas da Tecnologia Intersideral , em todos os terrenos teóricos e nos de aplicações práticas da Metaciência Estratégica, sempre em benefício das ‘Curas ‘ de todos os males, sejam da ecologia planetária ou do ecologia humana, rumo às sequências naturais das espirais da evolução infinita, mister e fatalidade para todos os filhos criados pelo Pai Amantíssimo.



A história da humanidade continuará sob a égide da nova luz regente, da nova sabedoria planetária multifocada, como um cômputo de obras solenes em torno de todas as questões da vida, e quanto às todas engrenagens de se manterem em simbiose eficaz as conquistas do espírito em plano ainda material de existência, embora em mais diáfanas órbitas frequenciais.



No entanto, meus amados, ainda não estais lá...e sim estais vos preparando para ‘Alforrias’ em todos os sentidos, seja para onde estejam se movimentando os vossos seres multidimensionais...



Qualquer que seja o grau de vosso saber, os títulos que auferiram, as honrarias concedidas por disciplina e responsabilidade em iniciações espirituais de toda ordem, quaisquer que sejam os vossos cursos, diplomas e certificados, especializações e graus, emblemas e medalhas, em vivenciações holísticas, magísticas, espiritualistas, culturais, educacionais, teológicas, gnósticas ou mesmo agnósticas, etc...os vossos multifários parâmetros não substituem a urgente conclamação evolutiva da manifestação do Amor Incondicional, nas formas mais verídicas, autênticas e operantes que se fizerem possíveis de serem consecutadas em vossos dias de decisões definitivas sobre as mudanças vibratórias da Terra que alijarão de seu bojo as almas recalcitrantes.



As alterações quânticas planetárias, em velocidade espantosa, galopam para vossos porvindouros dias de visível suspense para vós.



É tempo de escolhas !



Falávamos de Alforrias...e elas se encontram em UM ÚNICO endereço vibratório e em uma única e insofismável providência que faça transcender o vosso arcabouço de conhecimentos e méritos:


- 'AMAR SEM MEDIDAS !'




Não atravessareis os portões dos Céus sem esses bilhetes conquistados por vossas almas e que serão somente visualizados e avaliados pelo Pai e seus comitês de Justiça Divina, nas cortes de seleção e recrutamento de seres para comporem agrupamentos vivos, que movimentarão todos os níveis de próximas experiências nos planos físicos de terceira dimensão.



Em vossos peitos etéricos somente brilharão as vossas condecorações obtidas como lauréis de vossos atos e obras, advindos de sentimentos e opções.



Vossa bagagem intelectual e todos os desforços nas viagens aos registros akáshicos do Conhecimento, e a despeito de vossa inteligência louvável, de nada servirão e jamais substituirão a luz que fulgura do serviço altruístico ou mesmo somente através do sentimento exalado e irradiado, ambas as versões de requisitos que promanaram de vossa boa vontade e do amor incondicional.



Só o amor realiza, concretiza, consolida...



Só o Amor importa nesse momento do rondão especial de averiguações frequenciais de vossos seres, na fase de grande reacomodação topográfica planetária paulatina, mas derradeira para milhares.



Embora os méritos das lavouras proficientes dos conhecimentos obtidos e compartilhados com a humanidade, através de muitos distintos mecanismos de sua expansão, nada significarão, logo mais, amanhã mesmo, quando estiverdes sendo recambiados, quando de vossos desenlaces do invólucro físico, aos pórticos dos reinos do Espírito Livre, no oásis cósmico da Imortalidade.



Na vida real dos seres criados, quando são sutilíssimas as suas vestimentas ou formas em planos etéricos, e onde só balouçam as bandeiras do Bem realizado, em seus castelos moldados e construídos pelos sentimentos de solidariedade humana, espiritual e sideral , expandidos, apenas o Amor e a Sabedoria dignificada na luz da verdade são as bases que eternizam esse direito conquistado de se usufruírem das benesses divinas prometidas pelos livros sacramentados de vossas religiões.



O Amor cria a vossa casa cósmica, o vosso refúgio no Universo, a vossa paz...



A inteligência nada mais faz do que saber muitas coisas...



Mas a Sabedoria a que deveis chegar não é o simples ‘saber’.



Devereis eleger o mais nobre roteiro, a mais soberba linha metodológica que vos leva à ‘inteireza do ser’...onde vibram juntos os maiores tesouros que vos enriquecem para toda a eternidade: a Sabedoria e o Amor.



Mas preferimos dizer : a ‘Sabedoria do Amor’ !



Pois amar é ser sábio...pois o sábio sabe que não se diviniza o ser sem que o amor o faça resplandecer .



O conhecimento e a inteligência também existem onde não se conhece o Amor.



A sabedoria, nessa conotação mais fragmentada, coexiste nos reinos marmóreos dos tecnosábios da escuridão aviltante e hostil onde se perpetram as engenhosidades que vos fazem desfalecer em vossos intentos de progresso e luz definitiva em vossas almas cansadas de tantas peregrinações.



Pelo simples ‘conhecimento’ avançado em muitas áreas, e para vós até totalmente desconhecidas, por terem tido seu nascedouro em planetas primários no amor, mas robustecidos de portentosos arsenais de métodos antifraternos, até mesmo no movimento de disputas entre poderes de legiões de conspiradores intergalácticos, muita desordem tem havido nas vossas vidas até os dias hoje.



E enquanto essas hostes gélidas ainda se aglutinam contra vosso discernimento e ainda conspiram contra vossa absolvição dos esquemas repetitivos das vidas fustigantes que vendes tendo nas lides da Terra, ainda moralmente enferma, eis que o conhecimento sem o amor ainda lhes serve de ardiloso mecanismo de desonra à vossa própria inteligência.



Alienando-vos ao insuflarem tantos dispositivos de treinamento para a ascensão de vossas almas, riem-se de vossa ingenuidade, amados...



Obstinados pela derrocada de vossos empenhos evolutivos, meus queridos, esses núcleos de pseudosábios vos tem confundido.



As reais capacitações para entrardes nos reinos da Luz não são adquiridos em módulos de cursos intensivos, amados...



De nada adiantarão odisséicas incursões espiritualistas, num debate interminável de teorias de cada qual de suas versões sobre a evolução e a transição planetária...



Enquanto vossas almas não estiverem conectadas a um novo padrão de entendimento sobre o real propósito da vida, de vossas vidas, e ainda não estiverem vibrando no mesmo diapasão da consciência amorosa e da utilização sábia desse amor conquistado para o bem coletivo, tudo se resumirá a um lamentável degrau de competição de vaidades mascaradas, filhos...



Temos anelado na data de hoje transpor-vos a esse patamar de convicção à vossa maior lucidez.



Temos rastreado todos os movimentos dos trabalhadores na implantação da luz na Terra, por seus vários instrumentos de ações...e ainda nos entristecem as vossas posturas de animosidades e de equívocos tão óbvios...



Perdeis tempo e energia com mirabolantes projetos e falsas promessas de ingressardes nas freqüências dos avatares...



Não se fazem avatares em cursos, amados, e sim no decurso de itinerário de éons, na exemplificação de reiteradas demonstrações de amor e fraternidade universal, únicas virtudes que dignificam os seres rumo à sua condecoração como vitoriosos diante de si mesmos.



É tão somente no genuíno despertar para o Amor que encontram-se as alianças com o Divino.



Enquanto se confrontam séquitos de horrendos mentores do mal com os exércitos celestiais, vossos escudos de defesa psíquica tem ficado a mercê desses escravos do engano milenar de serem proprietários de vosso planeta.



Torna-se infalível a sua estratégia diante de vossos equívocos inaceitáveis.



Quão incipientes são as vossas horas em que protestais contra as verdades eternas de que ninguém chega ao Pai sem que as asas do Amor, que são as asas da verdadeira sabedoria, tenham sido crescidas no amadurecimento das refregas vivenciadas que sublimam as almas, e na burilação dos pendores da egolatria , do orgulho e do desrespeito para com os compatriotas planetários, na forma de mui copiosos sofrimentos que lhes são impingidos pela vossa indiferença coletiva ou mesmo individual ante a dor dos semelhantes, estejam eles em que reinos de vida estiverem ...pois todos vós tendes atravessado e percursionado as mesmas experienciações que todos eles em vários planos de vida.



Fragilizam-se vossos corpos e vossos espíritos ante a avalanche dos conteúdos pertinazes de fórmulas mágicas de alçardes vôo ao infinito ou a uma nova perspectiva de vida humana com base em intrigantes fomentos a um estado de contemplação tola de ‘palavras e sinais’ desprovidos de sentido autêntico, de ‘significado’ ante os apelos evolutivos reais de vossos espíritos em defasagem ainda de muitos valores a serem conquistados, que tem se mantido calados ante o desafio à vossa inteligência espiritual.



Investidas sombrias tentam sabotar-vos ao direito do amor autêntico manifestando-se, usando de pérfidos meios de hipnotização de vossas mentes, que se detêm na viciosa e acomodada rede da inação perpetrada, ante o gigantesco trabalho que tendes à frente, em vista do evidente e imperioso momento da grande mudança de era planetária.



Deitamos nessas linhas nossa conclamação geral à imprescindível religação de vossos seres à divindade e ao apreço mais caloroso com relação aos vossos pares, nesta morada escola em que deveis vos abraçar amorosamente, neste momento de vislumbres inquestionáveis de grande acontecimentos saneadores dos erros desses milênios, que tendes acompanhado nessa travessia vossa nos meandros físicos da Terra.



Mais profícuas realizações ainda vos aguardam, amados.



Das horas que ainda dispondes nessa maternidade em que despontastes como infantes que caminham para a idade adulta de vossas escaladas, e desse contingente de ações ou reformulações que deveis encetar em vosso benefício, que possais tirar proveito agora de nosso impulso a milhares de vós que, ainda, embrionariamente, desfilam seu relatório de aparentes virtudes, obsoletas e inconsistentes, ao rejeitarem a idéia de que ainda são exigidos requisitos impostergáveis a muitos de vós, equivocados quanto à radiância de vossas luzes adquiridas.



Nessa iminente chegada dos anfitriões da nova Terra, os nascituros que realmente despontarão, em sua arrojada ou humilde contribuição ao vosso orbe de hoje, que estejam adubados as vossas almas e corpos que lhes darão a luz, para que possam ser sustentadas com valores dignos toda essa falange de luminares reformadores de todos os desvios que vossa raça miscigenada propiciou ao logo dos milênios de vossas depurações.



Não é tão simplória a conquista da Liberdade Espiritual.



Na amplidão sideral, em qualquer região do Universo, não sobrevivem almas em compasso de incongruência de suas bagagens morais adulteradas com as freqüências das virtudes eternas.



A massa atômica de vossos maus pendores e enganosos ofícios ocupará demasiado espaço entre os eleitos do Pai e tendereis a orbitar onde existe massa correspondente aqui mesmo ou em outra maternidade-escola planetária, para o desenvolvimento de vossas individualidades, muitas ainda moralmente como obstipadas em si mesmas, tais quais ‘fetos’ espirituais.



Não vos enganeis mais... Há demasiado lixo mental entre vossas sedimentadas teorias de evolução e ascensão ! Conceitos que vos foram propiciados pelas hostes da iniqüidade, advindas dos laboratórios imundos no submundo astral terráqueo.



Idéias forjadas na obnubilação de vossa racionalidade a se perder...



Nas sementeiras áridas, ilusórias e inférteis, da falta de amor e da razão, não encontrareis repouso para vossas almas extenuadas...



É um desafio existencial exercitar o bom senso...



Não podemos mais deixar que continueis regando concepções inúteis...



Fugi celeremente de tudo quanto for estéril...sem coerência....ou sem utilidade real.



O tempo vos chama !



Existe somente um único preceito máximo para obtenção de vitória espiritual na Terra:


AMAR !



Não pleiteeis andares evolutivos com vossos quinhões de luz desfalcados...



Não vos deixeis serdes sacrificados aos totens de pura negritude hostil ante a vossa engendrada volta à ignorância sobre os verdadeiros degraus que vos levem ao Pai.



Obtusas são muitas concepções que as hostes do mal vos tem reservado, queridos...sobre termos, vocábulos, certas grades, certos chavões, certas fórmulas mágicas, amados...



Afastai-vos das ignominiosas mancomunações contra o vosso discernimento.



Atentai para os verdadeiros propósitos de vossas jornadas.



Buscai o equilíbrio entre os apelos da matéria e os alvitres necessários à vossa lapidação espiritual.



Investi na lucidez e descartai o duvidoso.


Não temais ! O amor é a única finalidade de vossos espíritos !



'- É preferível rejeitar nove verdades a aceitar-se uma só mentira ! '


Com razão disse o grande apóstolo do Mestre Jesus, Allan Kardec, renomado em sua codificação, e não sabido em sua verdadeira identidade como um contemporâneo de Jesus Cristo.

Acendei a fogueira de vossa não aceitação às artimanhas que vos prendem a uma biblioteca de falsas revelações sobre o Plano do Pai quanto aos vossos espíritos, ou conjecturas ao estilo de subjugação de vossas mentes a concepções forjadas.



A vossa redenção encontra-se na prática do amor.



O Amor é o passo seguro.



Reabastecei-vos dele e podereis até mesmo esquecer de tudo o mais que tendes aprendido,se estiverdes confusos, pois isso não vos porá em risco.



O peso e o quilate do amor suplanta todos os vossos conhecimentos e até mesmo a falta deles.



Tereis riscos sim se houver o sufrágio do Bem... pela vitória de vossa inteligência corrompida pelo veneno da ardilosidade vil dos que nunca amaram...



O Amor é o sopro da vida !



O Amor é o sopro do coração de Deus !



Olhai os olhos clementes ao vosso redor....ali se encontra a vossa salvação !



Procurai o rosto mais próximo de vós e simplesmente sorri para ele...



O Amor é esse sorriso.



O Amor é simples.



O Amor é uma palavra.



O Amor é um carinho, um gesto, um alento...um qualquer medicamento...ao corpo ou à alma...de alguém...não precisais saber ‘de quem’...



Jogai de lado todas as leiras decoradas, ilusões que vos foram desfraldadas...



Sois sóis ! Deixai-vos brilhar, poderosos verdadeiramente se vossos raios aquecerem vossos iguais....



Não precisais dessas nuvens de idéias conturbadas...Estais todos aturdidos ante toda a engenhosa máquina de confecção de modelos de evolução, de iluminação e de ascensão...



A verdade verdadeira chega serena....não equivoca...



Amai ! Só isso vos basta nessa hora de aflições...



Não confronteis as doutrinas...não as maldigais....mas afastai-vos do que vos estagna , do que vos confunde e atemoriza...



Observai que já não tendes parâmetros reais...



Asserenai-vos.



Nada precisais hoje que não ferramentas úteis que sulquem o solo do que vos será exigido como bagagem obrigatória...



Nada precisais providenciar na forma de métodos e técnicas ao estilo ‘castelos de areia’...



Nada deveis realizar em sistema de pressão ou opressão...essas que vos tem atordoado.



Nada mais deveis fomentar que não seja amar...



Desimcumbi-vos de rememorardes mensagens verborréicas...



Aprendei das fontes apenas que não vos tragam o maquineísmo...



O Amor é um oásis...



Olhai ao vosso redor e encontrareis a vossa destinação sobre a Terra...



Valorizai sempre, sim, o óbolo das verdadeiras conscientizações, revelações e chamamentos espirituais sublimes e construtivos...esses vos falarão ao coração.



Adestrai-vos , porém , em verdade, em um único e visceral movimento da luz:



Amor .....



Com sabedoria alcançareis a segurança plena quanto ao que é relevante, realmente, aos vossos seres, e assim construireis vossas novas pontes teóricas, primando pelo que tudo simplifica, mesmo que em moldes elegantes de escrita, mas que, sem maiores exigências de compreensões desnecessárias, ao mesmo tempo que esclarece, conduz...



E isso, amados, é tudo, é tudo e tão somente o que verdadeiramente importa:







Nada mais...nada além do que, simplesmente...




AMOR !











MESTRA NADA




Mensagem telepática a Rosane Amantéa em 22 de agosto de 2011, em Londrina – Paraná – Brasil.





2011@Rosane Amantéa



Esta mensagem pode ser compartilhada desde que os direitos autorais sejam respeitados citando o autor e o link
http://rosane-avozdoraiorubi.blogspot.com
Obrigada por incluir o link do site do autor quando repassar essa mensagem.

Poderá também gostar de:

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Frankie Goes To Hollywood The Power Of Love



I'll protect you from the hooded claw
Keep the vampires from your door
Ayayayay/Feels like fire
I'm so in love with you
Dreams are like angels
They keep bad at bay-bad at bay
Love is the light
Scaring darkness away-yeah
I'm so in love with you
Purge the soul
Make love your goal


*The power of love
A force from above
Cleaning my soul

Flame on burnt desire
Love with tongues of fire

Purge the soul/
Make love your goal


I'll protect you from the hooded claw
Keep the vampires from your door
When the chips are down I'll be around
With my undying, death-defying
Love for you
Envy will hurt itself
Let yourself be beautiful
Sparkling love, flowers
And pearls and pretty girls
Love is like an energy
Rushin' rushin' inside of me


*(Repeat) 
This time we go sublime
Lovers entwine-divine divine
Love is danger, love is pleasure
Love is pure-the only treasure
I'm so in love with you
Purge the soul
Make love your goal


*The power of love
A force from above
Cleaning my soul
The power of love
A force from above
A sky-scraping dove
Flame on burnt desire
Love with tongues of fire
Purge the soul
Make love your goal



I'll protect you from the hooded claw
Keep the vampires from your door


1ºRaio - Vontade-Poder




excerto de um seminário de André - transcrição livre

"É o raio da persistência, da constância, da resistência, do endurance, da direcção. A energia deste raio é recepcionada ao nível do chakra da coroa e representa essa força que simultaneamente liga e ancora a alma ao poder de transcendência da mónada, e direcciona constantemente a personalidade.

A energia do 1ºraio é aquela força que mantém constantemente a pessoa no caminho da alma. O chakra da coroa funciona como uma antena, um radar, um receptor que conecta a energia do 1º raio, a força mais potente da corrente de interioridade, e mantém constantemente o indivíduo focado no seu destino, de uma forma muito profunda, persistente e constante. 

Para além dos ciclos existenciais de um ser, das oscilações superficiais (ondas de alegria, de tristeza…) para além dos «desvios», dos desfasamentos, o 1º raio actua ao nível ciclos profundos de realização de um Ser, ele representa o mandato que diz – “Cumpre o teu destino!”. Assim, a força absolutamente constante do 1º raio avança com uma persistência implacável que não oscila perante as alternâncias da existência quotidiana.

O 1º raio pode estar activo na sua acção de fundo e quando ele actua em profundidade ele é o homem do leme que com uma persistência e uma continuidade implacáveis “empurra”, redirecciona e conduz a personalidade em direcção ao destino. O homem do leme não se deixa levar por forças de dispersão e constantemente reorienta o ser, traz para o centro, conduz ao alinhamento. Da mesma forma, ele não precisa de grandes estímulos exteriores para avançar e empurra sempre, quer haja vento quer não haja, ele não larga o leme. 

A impressão de estar em contacto com o 1º raio é a de estar em presença de uma força que nos conduz mesmo quando actua lentamente ou apenas em profundidade; mesmo se o 1º raio não está muito activo no ser nunca é tarde para ele desenvolver o contacto com esta força que o empurra para a sua expressão máxima.

Quando em determinados momentos da existência a alma sente a necessidade de se tornar activa, quando o ser afirma a decisão interna de afastar definitivamente certas forças ou certos registos, de alguma forma ele está a decidir encurtar o caminho que o conduz ao seu destino. Nestes momentos não só o 1º raio é mais profundamente activado, como ele deixa de actuar apenas no fundo e passa a agir à superfície. Aqui ele deixa a sua função de homem do leme e opera como uma espada. Se o leme representava uma condução de fundo, o endurance, a constância, a espada é aquela força que corta o contacto com fontas ultrapassadas.

Quando o 1º raio opera na superfície ele torna-se um acelerador de processos, uma espada que corta de forma implacável ligações não evolutivas entre si e os outros ou entre si e certos registos ainda presentes em si. Laços relacionais, registos da personalidade que de outra forma levariam anos a remover, dissolvem-se ali em segundos. Quando o 1º raio actua ele tem uma tremenda força de dissolução, de desmoronamento das forças que nos impedem de avançar. 

A sua acção extremamente dinâmica, liberta, dissolve cabos, vínculos que nos amarram a certas pessoas, a certas situações e a certos registos psicológicos. Neste sentido quando ele está presente, o passado deixa de ter ascendente sobre nós, o que é fundamental para um ser prosseguir o seu caminho."

André Louro de Almeida.
Fonte: Facebook

Web site desta imagem

fraternidadedos12raios.net

1ª Mensagem do Arcanjo Sandalphon - sintonizada por Isabel Angélica a 12.11.2010



Amados irmãos. Queridos filhos.
Eu sou Sandalphon, o Anjo da Terra.

Pela primeira vez me apresento por intermédio do meu canal oficial neste território. Este canal - Isabel Angélica - é a minha única voz humana aqui em Portugal e com isso aqui fica escrito e selado enquanto a ordem divina de amor e luz o desejar. E esse selo de confiança, como se de lacre se tratasse, é-lhe dado pelo patamar de confiança e trabalho interno que ela tão bravamente atingiu. É uma questão de mérito e total identificação entre energias que se estão a complementar no cálice que ela representa.

Esta associação também acontece com o meu complemento divino - Shekinah, a expressão do sagrado feminino na consciência Terra. Será este canal o única reconhecido pelas hierarquias divinas para passar as mensagens que serão prementes veicular a este povo adormecido mas bravo e valente, cujos corações precisam despertar para a sua verdadeira e única natureza.

A união e fusão a este nível com um ser humano é possível, da nossa parte, pois este canal recebe em si as energias puras dos corações dos Dragões, sendo considerada por estes Seres de Luz alados como uma Sacerdotisa de respeito, mérito e coragem. Uma verdadeira Guerreira do Raio Azul, mas com o coração permeado em pura luz rubi crística. 

Eu Sandalphon, irmão de Metatron e sua outra parte, aqui me encontro para vos servir, tal como o Feiticeiro serve o seu aprendiz de caminhada pela magia da Velha Tradição. É isso que represento e vos trago, em parceria com o meu complemento divino - Shekinah. Ambos representamos aquilo que existe de mais antigo e sábio na Terra enquanto ser vivo consciente e em permanente evolução. Representamos, tal como Jesus e Madalena, a materialização das energias do masculino e feminino neste Planeta Azul de água e céu. E represento também a conexão entre a consciência dos Dragões de Luz e os mundos fora deste mundo pois desde tempos imemoriais que estou conectado a estes seres maravilhosos de altíssima elevação de coração e ser. Poder-se-á dizer, para quem me sente, que sou da mesma natureza primordial de que são feitos os Dragões e os Humanos. 

Amados, preparem-se para ouvir o que nunca ouviram. Preparem-se para assumir a vossa Liberdade. Recebam o que é vosso por direito e mérito. Elevem-se e mergulhem dentro de vós mesmos... dentro da vossa Humanidade... dentro da Terra... Nas asas dos Dragões, iremos juntos na viagem de (re)descoberta de uma raça fantástica, cheia de glórias, conquistas e amor no coração - os Humanos.

Dín Cridi. Airenach Fían.

Fonte:
Cura Cristalinawww.espacocuracristalina.com
 

Web site desta imagem

Arcanjo Sandanphon
imagick.org.br

2ª Mensagem do Arcanjo Sandaplhon sintonizada por Isabel Angélica a 05.08.2011



Hoje venho falar-vos de MAGIA – a arte mais antiga que a raça humana tem ao seu dispor, tal como a conhecem.
Os Magos são aqueles que conseguem unir e transformar os 4 elementos – água, terra, fogo e ar – sem anular as características de cada um. Antes pelo contrário – amplificam os átomos de cada elemento, SÃO os próprios elementos, que manipulam sabiamente com a 5ª Essência – o Amor. Mas é mais do que o amor físico – é o amor divino que anima a alma.
O fogo e a água unem-se tornando fértil a terra, levando a palavra do espírito ao coração. E assim funciona a grande alquimia do amor… a alquimia pelo amor.
Esta é uma arte que já era conhecida e dominada na Atlântida, antes da queda de dimensão do Planeta Terra. Eu então me manifestava directamente nos Mestres de Atla Rá. Mais tarde, este conhecimento foi transportado para os 4 cantos da Terra, de forma a que o ser humano, na sua diversidade, não se esquecesse do poder divino actuante no seu coração, usando a matéria terrena.
Este canal – Isabel Angélica – quando tem a percepção da minha energia, vê-me como um grande mago, incorporado nos arquétipos dos magos celtas ou da Terra Média. E assim me apresento pois eu sou o grande mestre alquímico da Terra, seu Arcanjo protector, que me associo às raças da Terra para aqui co-criarmos a magia necessária para a viragem energética da humanidade. Actualmente, estão a ser criados muitos processos alquímicos que são alimentados pela energia divina que represento e ancoro, enquanto irmão gémeop de Metatron, seu oposto e contraparte. Eu aqui trabalho com as raças criadoras da Terra. Metatron trabalha com as raças criadoras da raça humana. Ao longo da Árvore da Vida, cujos opostos representamos, a Humanidade e a Terra têm o seu palco, onde cada um re-apresenta o seu papel. E uns não são sem os outros e outros são elos da mesma cadeia, cuja alquimia explode cheia de amor de coração em coração.
Como diz o nosso irmão Miguel, são tempos fascinantes estes que vivemos – nós, nos planos energéticos do espírito, e vocês nos planos físico do corpo. O coração é a intersecção dos dois mundos para permitir o ancoramento pleno do espírito individual e colectivo da raça humana.
Estão a acontecer muitas transformações. O grande cristal do centro da Terra, a Árvore da Vida, está a recuperar a sua capacidade energética de acordo com as instruções de Metatron. Até 11.11.11 é expectável que atinja os 70%. Até aos finais de 2012, a viragem alquímica será total. E todos os guerreiros sagrados despertos saberão beber conscientemente desta energia sagrada e transformadora. Estes são os que já estão a sair do filme da ilusão, da matriz de controlo que nos últimos milénios tem ditado a lei kármica da 3ª dimensão.
Actualmente já se vivem as energias da 5ª dimensão. Daí que as transformações estejam a ser tão visíveis e óbvias. A separação do trigo do joio é inevitável e inquestionável. E lembrem-se de que quanto maior é o resgate e ancoramento de luz, mais atenção deverão prestar à sombra que vai no seu encalce. Uma e outra habitam no coração sagrado da humanidade e quer tenham 300 ou 3 vidas na história de encarnações na Terra, a sombra é uma movimentação energética igual para todos.
A dissociação (vidas paralelas dentro do mesmo corpo, coração, espírito e mente) é o caminho que tem sido usado por muito humanos, mas agora não é mais possível, pois as verdades serão vistas com clareza pelos que já abriram caminho de forma corajosa. Os que estão mais atrás no trilho ou ouvem os novos mestres humanos ou são convidados a mudar de rumo na encarnação. Tanto para uns como para outros, o caminho é difícil, sabemos disso. Mas a iluminação da sombra traz a verdade e a verdade é divina.
O caminho oposto a este da verdade acorda a sombra que acabará por vos engolir num jogo sedutor de mentiras e enredos. E isto, meus amigos, é alquimia negra. Parem de fugir! Já chega! Aceitem a sombra para o caminho até à luz. O nosso irmão Miguel está disponível para vos auxiliar na caminhada. É Miguel que doma a cabeça do dragão, tornando-se seu cavaleiro fiel e eterno. E assim deverá ser o caminho até à sombra, passando pelo dragão como energia de protecção, coração e sabedoria.
Este canal é honrada por ter feito o caminho do dragão, o quel ainda trilha com alegria e responsabilidade. E enquanto energia gémea de Miguel, está a prosseguir na abertura de caminho para que outros vejam que é possível unir a sabedoria e a sombra, o amor com a tristeza, a alegria com a dor… todos são partes do mesmo que é ela própria. E não diferente com cada ser humano que é animado no seu coração com a energia do Cristo-Miguel, o leão que ruge à chegada, abraçando o sol eterno representante do Pai. E para tal é necessário amar a Mãe, a Terra que vos oferece os labirintos e experiências para a alma. E é nas cavernas da mente e do coração que cada um dos representantes da raça humana irá encontrar os seus tesouros preciosos que contam a história brava da sua alma.
Irmãos, sejam magos. Alquimizem a sombra para abraçá-la, amá-la e integrá-la. Transformem a vossa sombra naquilo que ela realmente é – uma parte preciosa de vós.
Dín Cridi. Airenach Fían.

Mensagem recebida no Anfiteatro da Floresta, em Ferreira do Zêzere – terra mágica do útero da Mãe à espera de ser fecundada pelo guerreiro sagrado.

Centros - André Louro de Almeida






Vamos procurar tomar consciência do que é que significou um casal avatárico no planeta Terra.



De uma maneira geral, os avatares encarnavam em androginato com a síntese de fogo divino completamente concentrado e focalizado num único núcleo. Isto foi real para grandes avatares como: Hanumano – um avatar que é considerado o primeiro grande avatar registado pelas memórias do planeta, e que é representado pela mitologia indiana como o deus macaco, porque enquanto avatar, ele vai fazer a definitiva inauguração do reino humano como inseminação de potência divina, no útero de possibilidades planetárias. Hanumano é um anagrama de humano. São as mesmas letras da palavra humano trocadas, e este ser não tem idade; Hama; Krishna; o príncipe Shidarta; Cristo; Vivekanânda; Yogananda; etc..



Quaisquer representações de uma polaridade a um nível divino, sempre estiveram ligadas ao nível simbólico, ou, no caso, não de avatares, mas daquilo que a tradição oriental chama “vibutis”, a uma encarnação real em que uma força de transformação divina não se exprime completamente, mas exprime apenas um traço de si mesmo. Isto foi real para muitos imperadores, reis, motores de civilização, e no caso de vibutis, por vezes havia uma manifestação dual, isto é, um ser vinha com uma consorte para a operação, nunca no caso de uma avatar, até ao episódio de Aurobindo e a mãe, porque o episódio de Aknaton e Nefertiti são vibutis, não são avatares. 



No caso da mãe e Aurobindo, pela primeira vez uma energia do plano divino desce defractada em dois núcleos, é a mesma energia, o mesmo avatar, só que ejeta-se através de dois núcleos que adquirem os dois suporte biológico, um em França e o outro na Índia, e mais tarde se encontram. No caso de Aurobindo e a mãe, não existiu nenhuma ligação entre os dois abaixo do nível divino, isto é, parece que houve uma altura em que a mãe deixou-se atrair para a vibração do nível monádico e consta que Sri Aurobindo apenas escreveu duas frases e ela voltou para o plano divino. 



Eles não estabeleceram nenhum contacto a nível físico, emocional, mental, intuitivo, espiritual, monádico, o trabalho foi feito estritamente entre duas consciências polarizadas no nível divino.



O que é que significa, em pleno século XX, de uma forma sincronizada com o factor loja negra na Alemanha, Eles terem feito encarnar um avatar duplo, cuja mínima vibração manifestada era o plano divino? Significa uma acção decisiva, sólida, concreta, não subjectiva, não mística, não ascendente, não criativa para cima mas criativa para baixo, do Divino, significa o oposto do misticismo, da ascensão, da tomada gradual dos planos superiores pela nossa consciência ascendente, tal como nos é descrito. 



Significa a descida sólida munida do poder de incluir a substância do planeta, e não apenas a consciência, porque Aurobindo é um avatar de Vishnu – consciência cósmica – e a mãe, sendo eles o mesmo avatar, representa o aspecto Brahma – mente divina –, não estava aIi nenhuma manifestação directa de Xiva, isto é, 1º aspecto - Pai. 



Contudo, se o Cosmos faz uma operação tão complexa quanto esta, é para começar a preparar manifestações mais próximas de Xiva ou do 1º aspecto, a vontade Divina. Trata-se de uma potência Divina de 3º Raio – a mãe, e uma potência Divina de 2º Raio – Aurobindo. A ligação entre as duas emanava um 1º Raio muito potente.



Nós vamos estar a trabalhar profundamente com estas consciências nos próximos tempos, porque elas representam uma ruptura nos métodos de tracção da Terra para dimensões superiores, elas representam uma descontinuidade, uma experiência do espaço e do Divino sobre a Terra. Uma experiência que não havia sido tentada antes.



Existe um livro da editora Shakti chamado “A luz que brilhou no abismo escuro” e que é uma descrição de uma discípula de Aurobindo e da mãe sobre o trabalho oculto que ambos fizeram durante a segunda guerra mundial frente ao próprio Adolfo. Nesse livro é feita uma descrição exacta da forma como eles se encontraram, nos planos internos, com coordenadores de poder como Churchil e DeGaulle, e da forma como eles gradualmente, dentro do que era permitido pela lei universal, alteraram o curso dos acontecimentos.



Aurobindo/mãe não são uma revelação, nem uma doutrina, nem um sistema, eles são uma acção, uma descida factual, um movimento sólido do Divino sobre o planeta. Durante 30 anos, praticamente, Aurobindo não saiu dum quarto numa vila à beira mar, na Índia, onde desenvolveu uma comunidade espiritual, e hoje, tanto de Inglaterra como de soldados alemães, como de ocultistas do centro da Europa, começam a surgir relatos da sua presença nos momentos chave durante toda a segunda guerra mundial.



Quando se usa a expressão LIZ/Fátima está-se a falar do portal do plano etérico situado nesta zona do mundo. Existem pelo menos 7 portais conhecidos. Liz tem uma contraparte, enquanto Liz opera com a receptividade, com a ressonância e com a interiorização totais, a contraparte de Liz chamada Anutea lida com o kundalini da civilização, e portanto, lida com a construção e a dissolução de estruturas culturais e civilizacionais. 



A nossa civilização assenta basicamente em três pilares: Platão; Moisés e Cristo. Não interessa se ninguém pratica nada do que eles andaram aqui a tentar dizer às pessoas. Ela só existe porque eles estruturaram e magnetizaram, nos planos internos, um conjunto de fundamentos e um íman cósmico capaz de atrair todos os elementos que formam o comportamento colectivo da Humanidade. A fundação de uma civilização acontece quando são delegados ímans capazes de estruturar, a uma escala muito ampla, o comportamento inteiro de uma humanidade.



Neste momento, a humanidade mais avançada está a viver uma transição do plexo solar para o centro cardíaco. Isto significa que a próxima civilização é uma civilização do coração, da inclusão da realidade no centro do ser, ela não é ainda uma civilização de transcendência como num planeta de 5ª, 6ª dimensão, ela é uma civilização de amor, inclusividade e primeiros níveis de fusão que correspondem a um planeta de 4ª dimensão. 



Grande parte do trabalho que os Irmãos estão fazendo sobre nós, destina-se a que tu permitas que seja feita a transferência da maior parte do fogo, da energia que alimenta a nossa existência, da focalização do plexo solar para o coração. Esta transferência é alimentada fortemente pela energia de Liz. Esse centro de vibração vermelho incandescente trabalha a purificação e a replasmagem da matéria física, isto é, se houvesse um mago negro autorizado pelo Divino, era essa civilização porque ele tem a liberdade completa de manipular, alterar, transformar toda a matéria densa. É uma civilização que tem as chaves do contínuo espaço/tempo especialmente em relação à lei da concreção, à lei da fixação da luz a correntes de gravidade e portanto, à lei da manifestação da matéria – Vermelho incandescente.



Aurora, no Uruguai, lida com a transformação do corpo emocional e portanto, lida essencialmente com leis de transubstanciação. Uma substância é transformada noutra substância, produz a cura completa do corpo emocional ao nível das raízes inconscientes, tem o poder de penetração no inconsciente que é divinamente autorizado. Portanto se existisse um Freud autorizado, era Aurora.



Anutea é o Einstein autorizado. Anutea lida com a transformação das chaves mentais. Toda a nossa mente está subordinada a noções espaço/temporais, a chaves ligadas à 3ª dimensão. Isso significa que toda a nossa mente utiliza funções lógicas e nós temos muita dificuldade em ser conscientes no plano intuitivo.



A energia divina é unidade, à medida que ela vai penetrando os 7 planos que nós conhecemos, ela funciona em três regiões: ou se adapta ao plano ao qual chega; ou entra num acordo gradual com o plano ao qual chega, em que o plano sede alguns aspectos e a energia toma conta condicionalmente; ou simplesmente transforma o plano ao qual chega.



Quando a energia se adapta ao plano a que chega, ela é uma energia divina que está a fazer não mais do que a manutenção desse plano. 



Quando ela está dialogando com esse plano, ela está a fazer instrução nesse plano e quando ela desce e transforma o plano, ela está ligada ao aspecto Pai e está a fazer elevação desse plano.



Anutea lida com a elevação da mente humana. 



Quando nós damos um encontro, e têm sido vários, em que ninguém percebe nada, o que está a acontecer é que nós estamos começando a coligar-nos com a energia de Anutea, e estamos a ter a humildade de estar frente a uma coisa da qual não percebemos absolutamente nada, e apesar disso, voltamos no encontro seguinte. Se nós percebêssemos integralmente o que ali está a ser dito, o que acontece é que a energia estava a adaptar-se ao plano em que estava a chegar. Donde que, quando as pessoas me dizem: “percebi tudo, achei lindo”, eu olho para mim e digo: “não funcionou”. É o oposto! É quando a coisa desce e a pessoa não percebe nada, é que é o ponto. Significa que o indivíduo está a conseguir colocar a sua mente em contacto com um impulso que acontece no plano mental, mas que não confirma os neurónios explorados, nem as concavidades cerebrais que já foram activadas pela luz da compreensão. O nosso cérebro tem milhões de neurónios que estão distribuídos qualitativamente, o cérebro é uma hierarquia, é um sistema em pirâmide, é uma repetição fisiológica, bioquímica de um facto oculto que são os 7 planos de evolução e os 7 Raios – os 7 espíritos diante do trono.



Quando se fala de uma forma que toda a gente compreende, o que está a acontecer é que a energia está a reactivar circuitos que já foram criados ou está a estimular circuitos latentes. A energia está-se a adaptar aos 8% que nós utilizamos no nosso próprio cérebro. Quando um indivíduo não percebe quase nada do que está a acontecer, significa que a mente dele está a ter um mínimo de confirmação, mas o principal do estímulo dirige-se a árvores neurais que não são activadas por nenhuma operação do quotidiano, emocional e psicológica, afectiva, académica, e a pessoa é colocada perante um estímulo que ignora as nossas referências, a nossa estabilização consciente e dirige-se a áreas muito profundas da vida cerebral e aí, começa de dentro para fora a despertar neurónios e a produzir operações desconhecidas na própria química celular.



Entre o conhecimento puro – gnose – e a nossa assimilação, existe um órgão que se intromete e esse órgão precisa de ser restruturado.

Anutea trabalha na fusão dos dois hemisférios cerebrais. O esquerdo está relacionado com operações conhecidas e o direito, na sua maior parte, com operações desconhecidas, além da oração, da música, da estética, do sentido do gosto e alguns funcionamentos da memória.



Enquanto nós tivermos esta divisão dentro de nós, a energia divina tem dificuldade em descer à mente. A energia divina é unidade, ela tem dificuldade em permanecer em níveis onde a dualidade reina, ela precisa de androginato em todos os níveis: físico , psíquico, mental. O centro que opera este androginato mental é Anutea. Ele está a começar a equilibrar as funções do consciente esquerdo com as do direito.



À medida que este par Liz/Fátima e Anutea são comunicados ao Homem, será posta em movimento uma operação planetária que deverá colocar os seres humanos em massa perante a transformação total da mente.



No final do milénio será apresentada ao mundo inteiro pela equipa do Standford Researche Institute os resultados de dois projectos secretos: o projecto Gizé e o projecto Yonaguni.



Quando estas descobertas forem apresentadas, a história universal, a arqueologia, a biologia, a história da evolução da caligrafia, das línguas e dos abecedários, simplesmente termina. Acaba-se a coisa académica. A equipa coligada com o projecto Gizé descobriu sob as pirâmides 30 Km de labirintos. Isso foi feito mediante um acordo secreto entre o projecto Gizé e o presidente Sadat em 1978.



Nós não temos penetrado em egiptologia nem em arqueologias sagradas, não há tempo. Portanto, se nós vamos fazer esta descida vibratória, é só para percebermos chaves do processo de comunicação de Anutea à Humanidade e como a revelação de Anutea e de Liz são em simultâneo, porque são centros que têm polaridade, isso dá-nos uma noção sincronizada do que está a acontecer no nosso interior e no conhecimento oficial como um todo.



A equipa ligada ao projecto Gizé descobriu sob a pirâmide de Kéops, graças à utilização de um radar de penetração de solo, quilómetros e quilómetros de túneis ligando a Guatemala ao Peru, o Equador ao Brasil e assim sucessivamente. Isto são factos científicos, é uma questão de tempo até eles chegarem aos mass média. O mesmo radar permitiu detectar a existência dessa vasta cidade debaixo das pirâmides. A equipe fez uma descida a essa cidade, resultando daí o filme “Câmaras do profundo” que será libertado para toda a humanidade exactamente no fim do milénio. Este filme revela a descoberta de uma metrópolis megalítica com cerca de 15 mil anos de idade. A história escrita tem 5 mil anos aproximadamente, quando surge uma coisa que contém estátuas, caligrafias, sistemas hidráulicos, baixos relevos, estátuas escavadas “in loco” em níveis subterrâneos e uma organização civilizacional tão complexa quanto a nossa, ainda que completamente desactivada, com 15 mil anos, significa que toda a história tal como nos foi ensinada é um eco. 



O nosso ponto não é começarmos a descobrir outra vez que a Atlântida ou a Lemúria afinal existiram, que houve comandos extraterrestres que fundaram as primeiras cidades-estado, e que houve intensa actividade da ordem de Melquisedec em todo o crescente fértil para aglutinação dos remanescentes da Atlântida em torno de um polo civilizacional. Mas isto é um facto que vai ser revelado e a importância disto prende-se directamente com o facto de se ter partilhado em Agosto, que a partir desse mês, as autorizações planetárias iriam mudar e cada discípulo encarnado iria ter que aprender a lidar com centenas de aspirantes, porque a partir do momento em que esta informação vier ao de cima, o estatuto cultural do esoterismo, passa de nulo a plus em segundos, o poder do esoterismo sobre o devir de uma civilização passa de 0 a 100 em uma semana.



Quando dissemos: “cuidado, porque a placa protectora do discípulo está a ser desactivada e o discípulo vai ser posto em contacto com a sua área de serviço”, significa que todos aqueles que deixaram um livro de esoterismo em cima do sofá nos últimos dez anos, e o resto da família percebeu que ele o estava a ler, vai ser cercado por essa necessidade, porque vai ser uma fome planetária intenssíssima.



Simultaneamente começaram as pesquisas em Hiakushima e Yonaguni (ilhas no mar do Japão). Estão disponíveis na Internet fotografias subaquáticas, muito claras, de um complexo com 12 mil anos, significa, no mínimo, remanescentes da Lemúria. Se começa a haver autorização para os resultados dessa investigação virem ao de cima, e se é já um facto oficial, ao nível de certas faculdades japonesas, de que aquilo não é produzido por deslocações de terramotos nem correntes submarinas, temos blocos com 90º exactos e círculos com 180º .



Ambas estas descobertas estão em sincronia com a gradual revelação à Humanidade da energia de Anutea, isto é, da energia patriarcal que se oculta nesse centro e que é uma energia que injecta uma nova glândula de compreensão em cada pulsação do desenvolvimento da história. 



Anutea faz uma injecção da sua energia no consciente colectivo e os homens aproximam-se do domínio do fogo, faz uma nova injecção e os homens começam a perceber o que é a roda – e a roda sempre esteve à frente dos olhos deles – Anutea não põe lá a roda nem o homem, Anutea faz descer o véu, que é bem diferente. E depois do fogo e da roda vem a invenção da agricultura, depois a invenção da política e das primeiras cidades-estado, depois vem o tear, depois … tudo o que foram as grandes descobertas até que há um momento em que chegamos à imprensa, à máquina a vapor e depois ao domínio do átomo e ao problema que nós temos visto. Mas isso é a acção de Anutea sobre a consciência colectiva, ela funciona ao nível do ADN de uma civilização, isto é, dos impulsos exactos que vão produzindo a passagem da obscuridade à luz em função da capacidade moral e biológica que a espécie tem de encarnar mónadas mais avançadas, porque para cada uma destas portas que se abrem, o potencial de autodestruição aumenta. Já se matou muita gente por causa de livros, então, o Guthenberg e a imprensa não são coisas assim tão inofensivas!



Eles têm que ter a certeza que já é possível encarnar determinadas entidades para abrir outra vez a janela de Anutea e fazer com que uma coisa que sempre esteve à nossa frente e que nós não víamos, se torne óbvia.



Assim que o material ligado ao projecto Gisé for divulgado, a nível do inconsciente colectivo são feitas deslocações mais profundas, isto é, a intensidade da evocação consciente da Humanidade muda de tom, assim, a voltagem da energia divina sobre a Terra aumenta.



Cada vez que uma coisa destas a nível arqueológico é posta cá fora, mexe com o inconsciente colectivo, este começa a ficar mais poroso e o oxigénio da luz cósmica começa a penetrar, os medos são transmutados pelo poder dessa luz e as naves orbitais podem começar a tomar posição no nível vibratório mais próximo do nosso consciente. Portanto, a aproximação da Hierarquia cósmica, da Hierarquia orbital, da Hierarquia supra terrestre à Terra é feita sincronizadamente com a revelação do passado da Humanidade. É necessário que se vá revelando, gradualmente, de uma forma o mais exacta possível, aquilo que está oculto no próprio planeta. Donde que, a revelação do verdadeiro estado das coisas e a transmissão ao Homem do que vai acontecer, é feita concomitantemente de baixo para cima e de cima para baixo.



Uma das últimas mais avançadas revelações que será feita à humanidade de superfície durante a transição, é o acesso à língua sagrada. 



Anutea é o guardião na Terra das línguas sagradas. Neste momento existem cinco línguas idiomáticas que mantêm um contacto relativo com a primeira língua. Essas línguas são: o chinês, o sanscrito, o hebraico, o latin e o tibetano arcaico. 



Uma língua sagrada do universo local é a organização de fonemas segundo o segredo, o mistério, a palavra oculta do Logos Solar. O Sol fala a primeira língua. O nosso aparelho vocal é construído por anjos e pitris – anjos que portam o fogo criador biológico. Todo o nosso corpo é sagrado, ele visa a potência de poder um dia ancorar uma divindade auto consciente, ou seja, este nosso veículo físico contém o potencial de revelar na substância o Divino, a Presença. A Revelação do Cosmos não diz respeito ao bem e ao mal, mas sim à tomada de posse do Divino na matéria. Uma coisa é a nossa dualidade moral outra coisa é a dualidade estrutural do Universo. Só os adeptos costumam perceber profundamente a diferença entre a dualidade moral em que nós existimos e essa dualidade estrutural.



O Divino utiliza organizações de substância ascendente para se revelar. Partes do teu corpo vão à frente: o cérebro, as mãos, a zona do chacra do coração é considerada a zona onde há uma maior facilidade de ancoragem da energia divina. As outras regiões correspondem a elementais que ainda estão num processo de actualização e harmonização no planeta inteiro.



Este nosso veículo físico é um plasma, um potencial plástico de revelação de Deus. A língua sagrada é uma língua para a qual o teu aparelho vocal foi construído. Ela é uma língua natural, a sua vibração repete, a nível sinosóidal, as línguas de fogo que correspondem a construções da inteligência divina no 7º e 8º subníveis, de forma que quando tu falas a língua sagrada, ela repete, a nível da libertação da luz na relação entre os neurónios e o som, o desenho exacto correspondente à 6ª e 8ª dimensões – fogo.



Quando um ser fala, quando o som ecoa dentro de nós a língua sagrada, os padrões de fosfeno – elemento químico do cérebro – desenham formas nos planos internos. Essas formas têm a ver com múltiplas organizações mas não com as organizações mais altas do Universo. Com a língua sagrada e com algumas palavras destas cinco línguas que ainda têm contacto com ela, acontece que o som no cérebro leva o fosfeno a uma sinosóidal que repete os padrões da descida do fogo divino. Isto significa que a língua sagrada é uma espécie de LSD autorizado porque ela produz alterações químicas no cérebro.



Torna-se muito fácil perceber porque é que uma das primeiras coisas que os Irmãos do Cosmos tiveram que retirar quando a situação atlante começou a ficar claramente dual – magos brancos e negros – foi a língua sagrada. As alterações químicas que a língua sagrada produz no cérebro aumenta muitíssimo o poder de descida da energia divina sobre nós. Nós estamos lidando com algo que é simultaneamente o portal de ascensão da Humanidade resgatável e o maior dos perigos.



Assim como Liz é o íman que atrai a nossa vida consciente e a nossa vida de oração para além da mente e a estabiliza na inocência e na candura do plano acima da mente – intuitivo, o facto de aquela Hierarquia feminina ter comunicado com crianças, foi a principal mensagem para os ocultistas, que foi o mesmo que dizer: “enquanto vocês não ficarem Jacintas, Franciscos e Lúcias não podem sair do domínio da mente neurótica, tornem-se crianças de novo, reencontrem a pureza, a candura, a verdade interior” – sinceridade. Sinceridade é vitória sobre a mente. A nossa mente tem poder de elevação até um certo ponto, esse mesmo poder de elevação passa a ser poder de retenção. Só uma criança atravessa essa área.



A energia de Liz/Fátima é uma energia de reencontro com a ausência de possessão sobre nós próprios. Ao mesmo tempo que o varrimento da energia de Liz produz este reencontro com o mistério da criança dentro de nós, a aproximação das sacerdotisas desse centro intra terreno faz-se em consciência infantil.



O poder de sair do plano mental é feito por essa ousadia de voltar à inocência central do ser. Enquanto essa fusão vai sendo operada, Anutea começa a fazer descer sobre a mente aspectos da língua sagrada.



Anutea detém tudo o que está ligado ao poder mântrico, rege a relação entre o consciente e o supra consciente, rege o obturador da nossa consciência superior e a velocidade com que ele se abre e fecha em relação aos reinos superiores do nosso próprio ser. Enoch (um dos seres banidos da Bíblia oficial) é uma hierarquia de Anutea.



Anutea chega com uma energia patriarcal e passa-te a língua dos pássaros, passa-te os fonemas sagrados, e o acesso à compreensão sintética do Universo.



Quando a energia de Anutea está a trabalhar através de ti, um quadrado, um círculo, um hexágono, um pentágono, um pentagrama, têm muito mais força significante do que antes, toda a geometria sagrada ganha brilho e poder transformador. Os números readquirem a sua função qualitativa. As ciências, no que elas têm de mais elegante, brilham outra vez para ti, isto significa que Anutea é um centro de 5º Raio – conhecimento exacto. 



Existe a chama e existe o óleo que permite que a chama arda. O nosso trabalho, enquanto eu consciente, é produzir esse óleo. Este óleo chama-se em linguagem bíblica “o azeite da lamparina”. Na psicologia esotérica chama-se o “caminho longo”. A vinda do Senhor é a chama, ou a fagulha que acende o pavio e chama-se a isso “o caminho curto”. Nos próximos tempos estaremos lidando de forma equidistante com o caminho longo e o caminho curto. Assim como estaremos trabalhando de forma equidistante com os dois grandes futuros cenários do planeta: a revelação da humanidade a si própria, ou a necessidade de uma intervenção directa de hierarquias cósmicas sobre o curso dos acontecimentos.



Se a chama chega e o ser não fez o caminho longo, equivale a tentar acender uma lamparina que não tem óleo. Se o ser que está fazendo o caminho longo, persiste estritamente no processo de caminho longo, ele nunca consegue encontrar o fogo que finalmente dá sentido ao óleo que ele tem estado a produzir. A produção do óleo implica o limar das arestas que nós inconscientemente temos à nossa frente. Ninguém vai fazer isso por nós. É um trabalho ligado à vigilância, à humildade, à bondade, à coerência e à integridade. Este trabalho produz o óleo e o poder de combustão. 



Se a chama não vem é porque nós ainda temos que trabalhar conscientemente o azeite. De cada vez que eu contorno um obstáculo espinhoso de uma forma inteligente eu produzo o óleo, cada vez que a minha capacidade de magoar é conscientemente trabalhada por mim, eu estou directamente a produzir o azeite. O caminho para Shambala é equivalente ao caminho da inofensividade.



A inofensividade total é na consciência profunda, na total ausência de necessidade de potencial. Enquanto eu tiver em mim o potencial de magoar os outros, enquanto eu não renunciar ao meu armamento secreto, eu estou com um óleo de baixa qualidade, porque é que o Pai haveria de chegar? Ele vem mas de uma forma intermitente, Ele vem para se retirar. Ele vem para namorar não para casar. Esse noivo vem porque eu fui renunciando às minhas armas secretas conscientemente uma após outra.



A Humanidade mais avançada está a ser preparada para não distinguir entre agradável e não agradável, entre recompensa por estar a percorrer o caminho, ou solidão por estar a percorrer o caminho. Estes factores psicológicos têm de se ir tornando gradualmente inexpressivos para nós.



O medo da solidão tem de desaparecer. “Deserto”, em vida espiritual, não é uma figura de estilo, “deserto” é LEI. Se tu estás a perceber que chegaste ao deserto, óptimo, aconteceu! É muito difícil chegar ao “Deserto”. Tu só chegas ao deserto se estiveres descalço, se as tuas mãos estiverem nuas, se o teu coração estiver exposto, se fores realmente abordável. Abordável porque não tens defesas.



O deserto aqui implica eu começar a saborear a solidão como o anunciar de uma verdadeira irmandade.



O inconsciente projecta-se na aura, o ser não irradia a energia do seu ser interno enquanto níveis do seu inconsciente tiverem projectos secretos, tu começas a irradiar a energia do teu ser interno na proporção em que o teu inconsciente é iluminado nessa proporção, a luz unificadora, a síntese viva pode habitar em ti.



O deserto é a forma que o Divino tem para queimar os adornos para que Ele te possa passar a coroa. Deus é perverso, Ele é o ser mais puro que existe, portanto é o único que pode verdadeiramente ser perverso e nessa perversidade, está contido o facto que na realidade Ele não tem opinião sobre coisa nenhuma. Os adornos, para o Divino, são só os adornos! Enquanto estivermos numa lógica de 6º Raio (dual), os adornos, aquilo que nós pomos sobre a nossa realidade pura devem até existir, porque isso vai alimentar o diálogo entre mim e o mundo. 



Enquanto tu estás dialogando com o Divino, tu estás no processo antigo. O processo novo, a injecção das energias de síntese neste planeta, significa que acaba o diálogo com o Divino e começa a fusão.



Se nós olharmos bem para dentro de nós próprios, lá dentro está uma autonomia espiritual, uma dignidade moral e uma capacidade de SER potentíssimas, não vem ao de cima porque todos nós estamos afundados, semi imobilizados na teia de todo o protocolo burguês que nós próprios sabemos que não nos corresponde, isto deve desaparecer.



O novo homem caminha nu, utiliza o caminho curto. Se nós temos zonas semi iluminadas, isso significa os aspectos de nós que estão a percorrer o caminho curto. Sempre que uma parte de nós não foi suficientemente iluminada, ela ainda está no caminho longo e nós estamos, através de um processo de auto compaixão, dando espaço a essas partes de nós a percorrerem o seu circuito. Se nós temos 7 chacras, existem os que são mais rápidos na resposta ao Divino e os que são mais lentos nessa resposta. Sabe-se que quando a última partícula de medo inconsciente for expulsa do teu ser, significa, esotericamente, que o Divino ancorou no chacra da raiz. Um ser sem medo é um ser extremamente perigoso. A força sólida do chacra da raiz subiu até à coroa dá-se a estrela de David.



Este trabalho de avançar no desconhecido de coração aberto e de deixar que a realidade venha a ti, e aceitar o Universo tal como ele se apresenta, a cada dia, contém aspectos do caminho longo e aspectos do caminho curto.



Partes de nós não têm ainda o óleo necessário para a descida integral da chama. Partes de nós já podem conviver durante períodos relativamente longos com a insuportável presença da pureza da divindade interior. Nós somos seres descontínuos.



O chamado para que eu me possa aproximar da aura do campo de estabilidade de LIZ sem ser repelido – um centro de energia cósmica tanto atrai como repele com muita força. Todos estes centros sem excepção contêm 1º Raio – e manter-me estável dentro dela, preciso de conscientemente purificar as minhas motivações, elevar a minha aspiração até um nível onde ela esteja isenta de qualquer necessidade de retribuição.



Os mundos intra terrenos são guardados por uma espécie de dragão com três cabeças: 

- uma guarda a ambição espiritual; 

- o segundo dragão visa a necessidade de recompensa. Eu estou a fazer isto porquê? Porque o meu marido não me compreendeu durante a vida toda e então eu vou-me vingar e vou-me transformar em santa? O caminho não serve como alibi para nenhuma frustração humana. Se tu estás aqui reprimido, vai e liberta-te, desde que tu estejas fazendo isso como resultado hidráulico, natural, da tua compressão. Eu preciso pôr os pés no caminho, não porque estou à espera que algo me seja dado, mas porque há uma alegria intensa em pertencer à unidade cósmica, em ser uno com o Universo.



Ninguém vai ser uno com o Universo sem que isso produza uma cura total do seu ser: físico, emocional, mental. Ninguém pode ser uno com o Universo se isso não produzir uma completa capacidade de perdão com todo o seu passado e o passado dos outros. Ninguém é uno com o Universo enquanto houver irregularidades na superfície cármica;

a terceira cabeça visa a necessidade de confirmação de inércia, visa o prazer sempre que este está associado à inércia.



Estas três cabeças vigiam a entrada dos mundos intra terrenos.



Espírito significa “ousar, risco, entrega de si a um princípio mais alto”. Se a entrega é feita com sinceridade, o que conta aos olhos da Hierarquia é o acto da entrega, não as consequências, automaticamente, o Universo no seu processo cármico constante, reorganiza-se para te proteger da tua própria ingenuidade, e a pessoa inventa um acto de entrega e tenta saltar e não consegue, fica prisioneiro. Nós estamos com a mão esquerda aperfeiçoando a qualidade da nossa capacidade de combustão perante uma chama espiritual pura – estamos produzindo o azeite, e estamos com a mão direita aguardando a chegada da chama. Difícil é se a chama vem e não há azeite. Difícil é um ser ter trabalhado o azeite da vida toda e contudo os alforges do seu ego impedem aquele azeite de poder entrar em combustão. Na verdade, se ele aprendesse a se entregar e a auto superar, a chama desceria e aquele ser era mesmo levado para planos superiores de consciência e de vida. Mas porque isso não acontece, o alforge está completamente compacto em torno do azeite e pior ainda, cada vez que tu tens uma nova atitude de caminho longo, confirmas ainda mais a força de fronteira dos alforges, que é quando a pessoa contabiliza o seu caminho longo.



Só no deserto tu podes ouvir a voz. Se há um ser que começa a ter dificuldades com um aspecto da sua vida, mas ao mesmo tempo é-lhe depositado uma nova capacidade, é necessário viver, completamente, a alegria implícita nessa substituição de fogos. Ex: Um músico rock partiu uma perna e ficou 4 meses numa cama, enquanto isso, pela primeira vez na vida ele ouviu a chuva, os pássaros, pela primeira vez ele OUVIU. Até então ele era um músico rock, quando saiu do hospital, desenvolveu uma nova linguagem musical – musica ambiental (1975). 



Muito daquilo que nós ouvimos hoje, só é possível porque ele partiu a perna.



O livro que ele escreveu sobre ambiente, influenciou todos os músicos de natureza mais subtil dos anos 80 e 90.



Quando nós ficamos em suspenso muito tempo, algo mais profundo está a ser sintetizado dentro de nós. Talvez o Divino tenha que te fazer oscilar entre altas temperaturas e baixíssimas temperaturas até que o diamante comece a brilhar dentro de ti. Tu tens um núcleo sólido, aquilo a que os budistas chamam “o grão de ouro” dentro de ti. Como é que o diamante vem ao de cima? Isto implica uma completa exposição a forças muito potentes e ao mesmo tempo um trabalho amoroso, silencioso sobre a nossa própria capacidade de combustão, sobre o nosso óleo.



Existe uma vasta camada de aspirantes, cada vez mais. Cada vez que uma pessoa lê um livro de divulgação e diz: ”porque é que eu não li este livro antes?” Nesse momento ele já está a aspirar. O método de despertar a aspiração no homem é um espectro que vai desde o sofrimento mais potente até à pura sedução. O Divino utiliza tudo o que tiver ao alcance. Ele tenta seduzir-se das maneiras mais interessantes possíveis e tu vais olhando, e não acontece, então começas a entrar nos outros ritmos até que a aspiração surge. Tem pessoas que nascem para o Divino em coma. O coma é, digamos, uma situação radical assim como a pura sedução do outro lado do espectro. Quando o rebanho é dócil, o pastor substitui o cajado pela flauta, quando não é, vai buscar o cajado.



Neste momento a Humanidade está a ter a sua aspiração profundamente impulsionada. O pico que se observa em Portugal, já aconteceu em França, nos Estados Unidos, no Brasil, etc., há dez anos, agora Portugal acordou e está a viver o processo. Isso faz parte de um esquema planetário extremamente exacto, se calhar Portugal não tinha que acordar mais cedo. Nem sabemos se Portugal está a acordar, porque a abertura para o oculto, para o psíquico, para os níveis subtis, é uma necessidade tanto da Hierarquia de luz como da loja negra. Quando toda a gente estiver a falar de viagens astrais e reencarnação podem ter a certeza que a loja negra passou ao plano B do seu trabalho. Enquanto lida com materialismo ela está com o plano A, mas para ir mesmo ao fundo da questão, ela precisa que a Humanidade comece a abrir para os planos psíquicos, logo que, esta intensa lubrificação a que se assiste, precisa de um exercício de discernimento cada vez mais profundo. Uma coisa é tu sentires que és tomado por asas e és levado para cima e para a frente, outra coisa é quando te fazem parecer que o processo é fácil. O processo não é fácil nem difícil. O processo é profundo.



Através da vigilância e do trabalho interior, eu vou produzindo o óleo sabendo que há uma chama centímetros acima do meu ser. Se o óleo for puro, se o meu caminho longo for feito com humildade, com método, no silêncio, procurando níveis de verdade interior cada vez mais altos, a 



Lei implica que a partir de um certo momento a chama desce e a lamparina acende.

Web site desta imagem

info.abril.com.br